Sobre nós
                É o tempo que determina o valor de todas as coisas.                      Audicenter, mais de 30 anos de experiência. 

Audicenter

A Audicenter é uma das mais completas empresas do Rio de Janeiro a oferecer alta tecnologia em exames de audição e Aparelhos Auditivos. É o local ideal para realizar exames auditivos ( mesmo que você esteja visitando a cidade), desde o Teste da Orelhinha nos bebês até Aparelhos Auditivos nos avós, afinal cuida desde a primeira até a terceira idade com a simpatia e dedicação de uma equipe coordenada pela especialista em audiologia Cintia Cardoso. Tudo isso aliado ao profundo conhecimento em surdez da Fga Maria Cristina Simonek MD. PhD. Respeito, carinho e eficiência você encontra aqui na Audicenter!   

 Veja o curriculo da Dra Cristina em:

https://lattes.cnpq.br/5487043496416955https://lattes.cnpq.br/5487043496416955https://lattes.cnpq.br/5487043496416955https://lattes.cnpq.br/5487043496416955


Leia a matéria do G1 com a Dra. Cristina Simonek

Fonte: https://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL790223-5598,00-TESTE+DA+ORELHINHA+PODE+IDENTIFICAR+SURDEZ+EM+CRIANCAS.html

Teste da orelhinha pode identificar surdez em crianças.

Exame está disponível em menos de 2% dos municípios brasileiros.
Com um fone, são emitidos sons suaves no ouvido do bebê.

Quase 6 milhões de brasileiros têm algum problema auditivo, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Mas um exame simples e rápido pode identificar quando uma criança nasce com surdez. 

O exame deveria estar disponível em todas as maternidades, mas não é isso que acontece. Menos de 2% dos municípios brasileiros fazem o teste da orelhinha nas crianças. O exame é importante, porque pode diagnosticar a surdez precocemente e melhorar muito a qualidade de vida de quem tem problema auditivo.

Com um fone, são emitidos sons suaves no ouvido do bebê. Basta apenas um minuto em cada lado.

O pequeno João, filho da fonoaudióloga Paula Amorim, nasceu com dificuldade para ouvir, e o problema só piorou. Depois do teste, ele passou por uma cirurgia para implantar um dispositivo conhecido como "ouvido biônico".
"É uma cirurgia que deve ocorrer entre seis meses e não mais tardar que 1 ano na criança que nasceu surda. Se tudo correr bem, em torno de 3 anos, ela vai estar com linguagem e fala completa, como se fosse uma criança ouvinte", explica a coordenadora do programa nacional do teste da orelhinha, Cristina Simonek.

Paula acompanha a evolução do filho a cada dia. "Hoje, ele senta, conversa e brinca. É uma criança como outra qualquer, sem dúvida", comenta.  

Cristina Simonek no Sem Censura - YouTube

                                                                       Clique aqui